Roteiro de Vendas: Uma estratégia ganhadora

Quando pensamos em como elaborar um roteiro de vendas são muitas as dúvidas que surgem nas equipes. Saber o que é, para que serve e como formular um é essencial para que ele dê certo

Criar um roteiro de vendas exige, antes de qualquer coisa, driblar o que as equipes costumam entender como esse documento.

As visões mais comuns a respeito de um roteiro de vendas são a de que eles simplesmente não funcionam porque nos prendem àquilo que está formalizado em um documento.

Isso não é verdade ou só é quando o roteiro de venda é mal aplicado pelo vendedor.

Um bom roteiro de vendas antecipa objeções frequentes dos consumidores, nos tornando mais rápidos a identificar caminhos por onde podemos seguir.

“É caro e não quero”, “mas não é caro. Ele reúne tantos serviços em uma única assinatura, o que o torna mais barato do que se fossem assinados isoladamente”.

“Mas eu não preciso disso”, “você não precisa porque ainda não utiliza. Quando utilizar, sentirá que é indispensável para a sua vida”.

Nesses dois exemplos duas objeções foram quebradas a partir de formulações simples e, de forma mais ou menos complexa, um roteiro se embasa justamente pela coleta dessas objeções.

E, mais do que isso, sobre as experiências positivas ao quebrá-las e concluir uma venda.

Por que devemos ter um roteiro de vendas em nossa empresa?

O roteiro de vendas é uma das ferramentas mais utilizadas por vendedores que nutrem grande experiência.

A diferença é que eles o usam sem, muitas vezes, perceber que o usam.

Isso porque, à medida que nutrimos experiências e alongamos nossa carreira de vendedores já temos em nosso íntimo a percepção de como algumas posturas tendem a definir uma venda.

Essa percepção, quando transportada a um documento físico, se chama, justamente, um roteiro de vendas.

Para vendedores que estão iniciando agora as suas carreiras um roteiro de vendas é essencial, visto que, com as informações preciosas que já fundamentam o trabalho, eles consigam participar ativamente das metas.

E, mais do que isso, conseguem manter sempre um bom nível de empolgação por poderem também participar dos resultados do trabalho.

No entanto, se engana que um roteiro de vendas pode ser benéfico apenas para quem está começando.

Para ter a prova disso basta observar como os vendedores mais experientes se portam ao telefone ou em uma reunião: eles se preparam para o momento.

Esse preparo envolve conhecer mais pontos importantes do produto, conhecer suas fragilidades e, também, prever objeções que deverão ser contornadas.

Assim, um roteiro de vendas não é nem uma ferramenta de iniciantes e nem criação de vendedores sêniores. É uma ferramenta essencial para todos aqueles que trabalham com vendas.

O passo a passo de criação de um roteiro

1 – Um roteiro de vendas começa pela conexão com o cliente

Estabelecer conexão implica em acolher o cliente da forma que ele se sinta mais confortável.

O seu objetivo é ouvir o seu primeiro sim.

Se dedique a buscar um vínculo, um elo, uma proposta que indique que no futuro haverá uma oportunidade.

2 – Seu cliente quer, de fato, comprar?

Buscar perceber os sinais que indicam se essa resposta é positiva ou negativa é essencial para que você tenha sucesso em seu roteiro.

E, nessa hora, não adianta esconder o sol com a peneira: se o seu cliente for qualificado, se ele for realmente o cliente cujo perfil se encaixa em seu perfil, ele irá comprar.

3 – Lide com as objeções que surgirão na hora de fechar a sua venda

Vendas criativas tendem a encarar uma objeção como uma oportunidade.

É, diante da penúltima etapa que apresentam-se os principais entraves para o fechamento da venda.

A validação é essencial para que seu cliente se sinta confortável para fechar a venda, sem que hajam dúvidas ou questões abertas que possam fazer com que ele desista na última etapa.

4 – Você vendeu! É o fim do roteiro de vendas ou o seu recomeço?

Agora que as objeções finais foram contornadas e a venda foi fechada, é hora de dar início a uma nova etapa desse processo: o feedback.

Construir um feedback é essencial para que possamos identificar, passo a passo, o que nos levou até o momento de fechar a venda.

O que é Script de Vendas

Um bom Script de Vendas é aquele que consegue prever, rapidamente, as ações dos clientes, criando um enredo rápido que converte mais vendas

Um bom Script de Vendas não é apenas aquele que converte mais em menos tempo de investimento por parte do vendedor.

Tampouco é aquele que engessa e homogeniza processos, anulando qualquer possibilidade de existência de vendas criativas.

A principal função de um Script de Vendas é, sobretudo, gerar valor para nossos clientes, para que eles se sintam, sempre, confiante para dedicar seus investimentos à nossa empresa.

É importante falar, portanto, que tudo o que o nosso cliente compra simboliza, na prática, um investimento que ele faz.

Assim, é essencial que valorizamos esse investimento, seja ele de qualquer valor que for.

É por isso que o Script de Vendas é tão importante para um setor de vendas. É através dele que valorizamos, justamente, o que mais importa durante a negociação com nosso cliente.

Dessa forma, fica sempre claro, tanto para quem vende quanto para quem compra que o que é negociado vai além do dinheiro que representa.

Isso porque, quando vendemos algo, vendemos uma memória, uma experiência e sempre uma sensação.

Com o Script de Vendas é possível, portanto, tornar o que nós vendemos através do nosso produto sempre muito evidente para cada cliente.

Quer saber mais sobre o que é um Script de Vendas e como criar um em sua empresa?

Acompanhe nosso guia!

1 – Saiba como um Script de Vendas começa, como ele se desenvolve e como termina

Um processo de vendas, seja ele guiado por um script ou não, tem um começo, um meio e um fim, tal como aprendemos na escola quando íamos construir um texto.

A diferença é que um bom roteiro vai além do passo a passo, do que deve ser dito e na hora que deve ser dito.

Assim, um bom Script de Vendas reflete etapas e processos, indispensáveis para qualquer empresa, de qualquer segmento. São eles:

  • Encontre seu cliente;
  • Alimente-o com seu produto;
  • Identifique se ele quer seu produto;
  • Venda;
  • Acompanhe seu pós-venda.

Cada uma dessas etapas podem ter seu próprio roteiro – e é excelente que tenham, uma vez que cada uma tem um objetivo específico.

2 – Saiba exatamente o que você vende

Você vende qual tipo de produto? Qual é o seu público? Como você vende?

Essas três perguntas resguardam em si um universo de respostas que podem conduzir à formulação de um roteiro de vendas preciso e certeiro.

No entanto, é sempre necessário lembrar que o nosso público muda o tempo todo, bem como o que ele deseja e, sobretudo, o que ele efetivamente compra.

Conhecê-lo, portanto, também direciona ao seu conhecimento a respeito do seu produto, uma vez que é essencial que você possa oferecê-lo a quem tem boas chances de adquiri-lo.

Assim, é essencial que você se nutra de todas as informações a respeito do seu produto e, mais do que isso, sobre o público que ele tem.

Dessa forma você saberá exatamente como ofertá-lo e para quem está ofertando, podendo criar mecanismos que possam fazer com que seu cliente se sinta confiante para realizar uma compra.

3 – Crie seu Script de Vendas

A partir dos seus resultados, você pode criar um roteiro de vendas específico para cada perfil de cliente.

Por isso é tão interessante que você possa fazer registros constantes da sua atividade enquanto vendedor, verificando para quem vende, o que vende e como vende.

No entanto, para fazer isso, é importante que você crie um sistema para registrar tudo o que você vende e, essencialmente, qual foi o passo a passo da sua venda.

Assim, registrar, de forma clara, o que foi dito, como foi dito, para quem foi dito, torna mais fácil criar um sistema de vendas e um roteiro que possa conduzir a mais finalizações de sucesso.

Com boas anotações e formulando um bom Script de Vendas você consegue sempre ter acesso aos fundamentos do seu processo.

E, com eles formulados, a revisão é bem mais simples de ser feita. Através de revisões constantes do processo, é possível aprimorar seu Script de Vendas.

Para esse aprimoramento é essencial que você ouça, sempre, seus clientes, buscando feedbacks que possam apontar pontos mais frágeis do seu processo.

Inteligência de negócios: fazendo mais e gastando menos

Utilizar as ferramentas da inteligência de negócios pode proporcionar mais sucesso a partir dos recursos gerados dentro da própria empresa

A Business Intelligence, ou Inteligência de Negócios está intimamente relacionada à tomada de decisão, mas não sobre a ação em si.

Isso porque, em um processo decisório tendemos a analisar diversas fontes de informação que nem sempre são por nós produzidas.

Assim, é essencial que a qualidade das informações que são a nós prestadas atinja um nível de excelência e que representa, essencialmente, a realidade.

Diante da demanda de criar informações de qualidade, hoje podemos utilizar recursos tecnológicos que, com o passar do tempo, se tornarão essenciais para qualquer tipo de negócio.

Com as chamadas Inteligências Artificiais ganhando cada vez mais espaço em nossas vidas – como essa, que é a sua auxiliar em seu smartphone – veremos revoluções acontecer na Inteligência de Negócios.

No entanto, enquanto esse momento não nos é apresentado de forma plena pela tecnologia, já podemos experimentar e muito dos benefícios que as técnicas aplicadas podem trazer para nossas empresas.

Quer conhecer quais são esses benefícios? Acompanhe nosso guia!

O que é a Inteligência de Negócios?

A Inteligência de Negócios são os recursos fundamentais para o gerenciamento de informações.

Assim, ela atua em várias frentes e, a partir dos resultados, permite que a tomada de decisão seja feita de forma que avalie, realmente, cenários diversos de uma empresa.

Para que a Inteligência de Negócios atue em uma empresa, pode fazer uso de diversos tipos de ferramentas para criar relatórios ricamente informativos.

Portanto, a Inteligência de Negócios pode atuar em:

  • Separação e coleta de diferentes dados, de diferentes fontes;
  • Análise;
  • Criar entrecruzamentos informacionais;
  • Elaborar a apresentação dos dados de forma que se possam observar a análise das informações.

Os dados que serão observados podem surgir de diversas fontes, sejam elas internas ou externas.

É a partir deles que podemos desde elaborar um novo produto ou, até mesmo, reduzirmos o consumo de papel dentro de nossa empresa.

Assim, a Inteligência de Negócios orienta através do concreto as decisões que podem impactar em toda a sua estrutura empresarial.

A partir dela podemos criar novos formatos que proporcionem mais vendas criativas, redução de custos ou, até mesmo, identificar represamento de informações.

Por fim, você pode utilizar essas ferramentas para lidar com várias frentes de trabalho, criando mais engajamento e mais transparência em seu negócio.

Quais são os benefícios da utilização da Inteligência de Negócios?

Atualmente, a própria informação já pode ser assumida como um produto, bem como a metodologia utilizada para viabilizar ações a partir da implementação dos recursos.

No entanto, para além dos benefícios que nos permitem observar novos nichos de mercado e novas experiências profissionais, a Inteligência de Negócios também promove:

  • Um processo de tomada de decisões embasados em fatos concretos;
  • Fazer mais em menos tempo a partir de resultados anteriores;
  • Melhorar nossa competitividade em relação à outras empresas;
  • Realizar pesquisas de mercado mais robustas;
  • Desenvolver novos produtos;
  • Identificar problemas.

Quando tratamos em especial da identificação de problemas percebemos a forma com que o represamento de informações afetam nosso trabalho.

Isso se deve, essencialmente, ao fato de não considerarmos informações importantes, quando, na verdade, toda informação é importante.

Assim, criando metodologias que valorizem, de fato, a informação, quebramos silos comunicativos e tornamos nossa empresa ainda mais eficiente.

O que devo fazer para implementar em minha empresa?

Essencialmente, a Inteligência de Negócios tem um fundamento: compartilhamento.

Assim, o primeiro passo dos muitos que precisam ser dados para que você possa verdadeiramente viver os benefícios desse recurso, é fundamental entender:

  • De que forma as informações surgem;
  • Como são utilizadas;
  • Para que são utilizadas.

Diante dessas respostas é possível buscar, nos objetivos da empresa, quais são aqueles que dependem de informação de qualidade.

Depois, mobilizando os setores que mais geram informações, é necessário criar metodologias ao gerenciamento e tratamento delas.

Assim, com o devido compartilhamento desses resultados, pode-se construir diferentes tipos de cenários para cada forma de analisar as informações.

Dessa forma, toda a tomada de decisão é feita a partir de resultados e de possibilidades que as próprias informações geradas no interior da empresa podem trazer.

Isso, por si, acaba por tornar o cenário muito mais palpável e, certamente, uma decisão que pode se tornar efetivamente benéfica à realidade da empresa.

As 3 melhores ações de Vendas Criativas

As ações de vendas criativas ganham cada vez mais espaço em um mercado altamente competitivo e, sem dúvida, ficam registradas na memória do público

Sabe qual é uma das principais vantagens de criar ações de vendas realmente criativas e cativantes para o público?

A forma com que isso se consolida e se solidifica na memória do seu consumidor.

Quem foi criança ou cuidou de crianças nos anos 90 deve lembrar o que era ir ao mercado e competir com Tazo ou Kinder Ovo.

A cada nova propaganda todo mundo já ficava de olho para fazer jogar com o Tazo ou para completar mais uma coleção de bichinhos divertidos.

Assim, o que era um módico brinde ficou registrado no imaginário coletivo de milhões de crianças e de famílias.

E melhor: ficou registrado como algo indissociável do produto que precisava ser adquirido para, então, ter os momentos de diversão.

Esses dois exemplos caracterizam muito bem o formato das ações de vendas criativas.

E, apesar de terem sido planejados por duas empresas gigantes do ramo alimentício, geram algumas considerações para empresas de qualquer porte:

  • Crie valor sobre o que você vende – o que você comercializa não é um produto, apenas, é uma memória, um momento, uma tradição familiar;
  • Engaje pessoas a partir de propostas honestas – siga o bom exemplo do Kinder Ovo e do Tazo, que deixam logo explícito que são artigos colecionáveis.

Ações de vendas criativas: as boas práticas que conquistaram o mercado

Conheça algumas ações de vendas criativas e entenda como um bom planejamento pode alcançar mais clientes para o seu negócio!

1 – Dia do Beijo, Quem Disse, Berenice?

A Quem Disse, Berenice? é uma marca de produtos de beleza voltada para maquiagem e perfumaria, participante do Grupo O Boticário.

Ainda em 2012 a marca criou uma das maiores ações de vendas criativas do mundo da perfumaria em pleno Dia do Beijo, celebrado em 13 de abril.

A proposta, simples, levou milhares de consumidores às lojas da recém inaugurada franquia com uma proposta um tanto inusitada.

Bastava preencher, online, um formulário simples e ir até a loja selecionada na data marcada com um batom de qualquer marca, em qualquer estado de uso.

Lá, em troca do batom antigo, já usado, o cliente ganharia um novo, da nova marca do grupo que já é um gigante no mundo da perfumaria.

Prejuízo? Desperdício? Nada!

Foi uma forma genial de atrair novos consumidores para uma nova marca de cosméticos e, além disso, criar uma grande tradição em relação à data.

2 – Uma das ações de vendas criativas campeãs: Bacio di Latte

Formada por italianos apaixonados pelo Brasil, a Bacio di Latte chegou por aqui em 2011, mas já conquistou o coração dos amantes do tradicional sorvete italiano, o gelato.

Em 2019, usando uma ferramenta de chat automático em mídias sociais, distribuiu nada mais nada menos do que 3 toneladas de gelatos gratuitamente, em uma ação dedicada ao dia dos namorados.

Para participar, bastava gerar um cupom através do chat e criar uma mensagem fofinha entregando um gelato à pessoa amada.

Mais de um milhão de pessoas foram impactadas pela ação.

3 – Halloween do Burguer King

O Burger King nunca perde uma oportunidade de alfinetar seu maior concorrente, o McDonald´s. No Halloween, a rede convocou o público para ir até as lojas da franquia vestido de palhaço em todo o Brasil para comer um hambúrguer sem pagar.

A marca avisou em suas redes sociais: “venha para o BK fantasiado como palhaço e pegue seu Whopper grátis.” O Marketing provocativo também ocorreu na Black Friday, quando o BK ofereceu um balde de batatas fritas em resposta ao refil grátis da concorrente. 

Por outro lado, a franquia argentina da rede amenizou essa competição durante o McHappy (o McDia Feliz dos portenhos). No dia 10 de novembro, enquanto o McDonald´s da Argentina destinava toda a renda do Big Mac para ONGs, o Burger King se recusou a vender o Whooper e ainda direcionava os clientes para a loja do concorrente.

Mas se o foco é criar ações de vendas criativas, por que tudo é feito de graça?

A resposta é simples: o consumidor pode ser apresentado à sua marca de muitas formas e a mais cativante é quando ele percebe que há algum ganho significativo ao manter essa relação.

Assim, marcas do mundo todo se esforçam para criar ações de vendas criativas que realmente gerem valor ao cliente, seja ele como for.

Portanto, vale distribuir sorvete, batom ou brindes dentro de alimentos? Vale.

Mas sabe o que vale mais?

Gerar, realmente, um impacto positivo sobre a vida das pessoas.

A Quem Disse, Berenice? não apostou, somente, em dar batons. Apostou em uma logística que também tem uma grande pegada ambiental: dar fim correto ao lixo.

A Bacio di Latte não criou, apenas, um momento para dar sorvetes: apostou em fortalecer vínculos amorosos, em pleno dia dos namorados.

A ação de Halloween do Burguer King, não foi apenas uma brincadeira, foi uma forma de se posicionar no mercado e atingir diretamente as vendas do concorrente, fortalecendo a marca.

Assim, lembramos:

  • Gerar impacto é essencial para que a ação de venda criativa se torne um momento importante para o seu consumidor;
  • Vá além da venda pela venda, do dar pelo dar. Crie um motivo que impacte positivamente na vida do seu cliente.

As minhas 22 frases para motivar equipes de vendas

A comunicação é essencial para um bom trabalho e aqui vão as minhas 22 frases para motivar equipes de vendas!

Qual o seu maior objetivo?

Quando pensamos em objetivos, tanto da parte do vendedor quanto da parte do cliente, é rápido pensar no que nos faz procurar uma loja ou vender um produto.

As frases para motivar equipes de vendas são instrumentos simples do dia a dia que podem nos ajudar – e muito – a realizar o nosso objetivo enquanto vendedores.

No entanto, é sempre necessário ter em mente que cada pessoa é única, bem como são os seus objetivos.

Vender e se apaixonar por vendas pode ter uma relação íntima com as nossas próprias ambições, particulares, e pode também ter a ver com aquilo que desejamos para o nosso cliente.

Mais conforto, mais bem estar, solução mais rápida para os problemas do dia a dia podem ser algumas coisas que queremos vender além do produto.

Assim, vale a pena focar no que queremos vender, no que queremos para nós e, sobretudo, naquilo que nos aproxima: nosso cliente.

Vou te mostrar agora as minhas frases para motivar equipes de vendas e como elas se demonstram, com o tempo, muito eficazes!

Frases para motivar equipes de vendas: defina seus objetivos!

1 – É definir o seu objetivo que te aproxima de conquistá-lo!

2 – Se você sonha em ter alguma coisa ou fazer alguma coisa, a primeira ação para conquistá-lo faz com que seu sonho se torne seu objetivo.

3 – Se você sabe, aplique seus conhecimentos. Se você quer, faça.

4 – Um dia de cada vez. Assim funcionam nossas metas pessoais e de vendas. Dê um passo, dê outro e construa, dessa forma, a escada para conquistar todos os seus objetivos.

5 – Uma ação pode até parecer brilhante, mas ela nunca será enorme se não for tão grande quanto o seu propósito.

6 – O caminho que você trilhou até agora teve sucesso e trouxe os resultados esperados para conquistar seus objetivos? Caso a resposta seja não, mude o caminho, não o objetivo.

7 – A medida do seu sucesso jamais será o dinheiro que você ganhou, mas a diferença que você pôde fazer na vida das pessoas.

Frases para aumentar o comprometimento da sua equipe

1 – Você pode até ter sorte. Mas melhor do que contar com ela é sempre confiar no seu bom trabalho. Isso é sempre o que leva a um bom resultado.

2 – Tenha o melhor cargo e o melhor salário. Se você não for comprometido e envolvido o suficiente, você estará sempre infeliz e inseguro.

3 – Sabe o que realmente pode te levar ao sucesso? Somente o seu comprometimento com tudo aquilo que fizer. Seja dedicado.

4 – Quando você se deparar com dificuldades, estará, apenas, se dando conta da sua falta de comprometimento. Comprometa-se a fazer qualquer coisa e elas não existirão.

5 – Se você não for suficientemente comprometido, sua equipe não irá gerar os resultados esperados. A mesma coisa se aplica à civilização como um todo.

Frases para motivar equipes de vendas e direcioná-las ao sucesso

1 – Faça das suas vendas criativas um sucesso expondo a sua positividade e aquilo em que você realmente acredita. Seus clientes perceberão que há verdade no que você propõe.

2 – Quando você fizer tudo o que faz de forma excepcionalmente bem, terá chegado ao que chamamos de sucesso.

3 – Você não precisa sentir ter conquistado nada para ser uma pessoa bem sucedida se outras pessoas repetirem seus passos. Sucesso é ser inspiração para outros.

4 – Quando você começa a perseguir seus objetivos certamente já está à frente de muitos outros que possam concorrer com você.

5 – Se você quer conquistar seus objetivos não haja da mesma forma que agiu para chegar até aqui. Dar novos passos implica em inovar e chegar a um lugar diferente exige caminhos igualmente diferentes.

6 – Você quer algo novo? Se sim, precisa deixar de fazer algo que seja já velho.

7 – As ações envelhecem. Nossos objetivos apenas mudam.

8 – Se você sempre fizer exatamente o que sempre fez, sempre terá exatamente o que sempre teve.

9 – Sempre que você sentir que falhou verifique se você não cansou, apenas, de perseguir seus objetivos. Talvez eles já estivessem mais perto do que você imaginava. Não desista.

10 – A cada vez que você ajudar alguém a ter o que deseja, chegará mais perto do que você realmente deseja.

3 Dinâmicas de vendas para a sua equipe

As dinâmicas de vendas são ações promovidas pela gestão a fim de desenvolver as habilidades de trabalho em grupo e melhorar a desenvoltura na hora de vender

Não são poucas as dinâmicas de vendas que já conhecemos através de entrevistas de emprego.

Hoje, para além do uso em seleções, elas figuram como ferramenta essencial para criarmos engajamento em nossas empresas.

Quando utilizadas pelo time de vendas, as dinâmicas são, sobretudo, importantes para que possamos analisar também a forma como se vende.

Assim, nos nutrimos com informações essenciais para melhorarmos nosso time e, mais do que isso, alavancarmos nossas vendas criativas!

Dinâmicas de vendas criativas para seu time

1 – “Meu produto sou eu”

Como seria possível vender um produto sem que você o conheça em todas as suas qualidades e suas fragilidades?

Quando partimos do pressuposto de que é a honestidade quem guia o processo de venda, juntamente de todo o nosso potencial persuasivo, temos de aprender a apresentar nosso produto.

Não cabe, nessa hora, mentir.

É essencial que nós saibamos, portanto, valorizar as características essenciais do que vendemos sem deixar de jogar limpo sobre aqueles pontos menos “premium”.

Para essa dinâmica de vendas, cada pessoa deve, em cerca de um minuto, apresentar-se como seu próprio produto.

Aqui, instruir o time a se preparar para saber o que falar na hora de “vender-se” também promove já de saída uma solução criativa para que o avaliador também possa analisar:

  • Como cada um se porta ao falar sobre si mesmo;
  • Quais são os pontos positivos e negativos da fala de cada pessoa;
  • De que maneira cada um se apresenta falando para mais pessoas.

Ao fim da apresentação, faça perguntas instigantes, que também extraiam respostas negativas sobre o produto.

Assim, sabemos também de que forma nosso vendedor se porta ao elencar pontos negativos sobre si mesmo, o que podemos trabalhar também ao longo do processo.

2 – “Invente um produto impossível de vender”

Um elefante cor de rosa que vomita a cada 10 minutos 300 bolos de cenoura, cuja a alimentação é composta por 100 dólares a cada minuto.

É possível vender um produto como esses? Sim. Por que é possível vender qualquer coisa? Não.

Quando aplicamos essa dinâmica é sempre necessário lembrar que o que vendemos não são coisas em si.

Vendemos, sempre, experiências, bem estar, memórias ou sensações.

Assim, focando nessas características que são partes essenciais de um processo de venda conseguimos extrair, justamente, o melhor de nossa equipe de vendas.

Afinal, as dinâmicas de vendas existem, essencialmente, para que consigamos entender os processos que conduzem alguém até o momento da compra.

Para essa dinâmica, portanto, é fundamental que os vendedores possam explorar os limites do seu potencial de convencimento.

Então vale mesmo a pena usar e abusar de toda forma de argumentação!

3 – “Mobiliando nossa casa”

Nessa dinâmica vamos testar o potencial de convencimento de cada vendedor do nosso time.

Para isso, divida a sua equipe de vendas em dois grupos e distribua para os vendedores várias fichas que devem ser preenchidas com:

  • Foto de um móvel;
  • Suas dimensões;
  • Seu preço final;
  • Seu margem negociável.

Agora, distribua para o outro time uma planta de um imóvel que deve ser mobiliado e dê a eles um orçamento de valor inferior à soma dos produtos distribuídos ao primeiro time.

Com as fichas distribuídas, é hora da negociação.

É só mesmo deixar os dois grupos negociarem e fecharem, da forma mais rápida que for possível, a mobília de todo o imóvel.

Deixe claro, no entanto, para os dois grupos, que a dinâmica só se encerra quando o imóvel estiver totalmente mobiliado.

Por que devemos aplicar dinâmicas de vendas?

As dinâmicas de vendas são essenciais para movimentar nosso time, tornando-o mais criativo, mais dinâmico e mais seguro.

Além disso, é um momento de grande aproximação entre todos os nossos colegas de trabalho.

Assim, embora seja um momento de grande distração e relaxamento, é muito frutífero para o nosso planejamento de trabalho.

Dessa forma, conseguimos nutrir o melhor que existe em nossos colaboradores, que é a participação, o envolvimento e, mais do que isso, a empolgação.

Apostar, então, nas dinâmicas de vendas é uma grande forma de incentivo para nossos times, que aprendem, dividem e crescem juntos!