Agregando valor

Quantas vezes somos surpreendidos em locais agradáveis como em um hotel, restaurante ou loja, com uma situação ainda mais agradável? E nas desagradáveis?

Muitos se irritam com os catadores de papéis, geralmente maltrapilhos e mal humorados,  com suas carrocinhas, atrapalhando o trânsito já caótico. Mas não com os funcionários de uma grande firma de refrigerantes, com seus carrinhos elétricos no centro da cidade. 

Imagine o catador bem alinhado em um uniforme, transportando sua reciclagem, com o mesmo carrinho elétrico e nele escrito: “Acabamos com toda sujeira – Detergente X.” Ele se sentiria valorizado, respeitado e digno. E você teria uma visão diferente do detergente X. 

Você está na noite, atravessando a rua e vê alguns sujeitos suspeitos, nisso passa a guarda municipal em um carro popular: “Estamos de olho! – Ótica Y.“ Onde a Ótica Y bancaria os custos do veículo por um período.

Quem nunca se irritou com um guardador de carro, mal encarado e mal educado? Mas se ele dissesse: -A Seguradora Z vai cuidar do seu carro. Na rua, todos os carros têm um protetor de sol e em cada um deles está escrito – “Seguradora Z – Seu carro mais seguro“.  E ainda ele ”lava” (a seco) o seu carro se você apresentar a carteira do seguro. – Puxa vida, não tem como você quebrar o meu galho? – Tudo bem, o senhor só preencha os dados nesta fichinha para a seguradora Z. 

 

As oportunidades estão a nossa frente, só falta enxerga-las.

 

Tio, dá uma olhadinha aí?

 

3 Empresas Criativas e Inovadoras

O que temos a aprender com empresas criativas? Certamente, muito. Conheça o que as gigantes em inovação fazem para criar e vender ainda mais!

As empresas criativas nos ensinam muito sobre o potencial que temos de reunir boas ideias e transformá-las em ótimos negócios.

Conheça cinco delas, que apostaram em inovação, conhecimento e, sobretudo, em muita criatividade e como isso impacta, hoje, em nossas vidas.

1 – A campeã entre as empresas criativas: 3M

A criatividade é a chave dos negócios e produtos desenvolvidos pela 3M, que hoje agrupa diversas marcas em seu nome.

Mas existe um produto, em particular, que é altamente contagiante quando o assunto é, principalmente, a produtividade: o Post-It.

Os papeizinhos autoadesivos fazem sucesso entre profissionais, estudantes e pessoas que se envolvem, necessariamente, com a criatividade e com a produtividade.

Lá pela 3M existe até mesmo um time focado em inovação, que é especializado em divulgação e também no incentivo por geração de ideias mais criativas, seja dentro, seja fora da empresa.

Assim, a 3M, atualmente, consegue atuar em diversos segmentos. Da saúde à geração de energia, a criatividade, certamente, já está no DNA dessa empresa.

2 – Pão de Açúcar, vendas criativas e antecipação de tendências

A rede Pão de Açúcar é mais um claro exemplo do que a criatividade pode fazer por um negócio, seja ele pequeno, médio ou gigante, como é o caso.

O Pão de Açúcar foi uma das primeiras redes a apostar em levar para as lojas os alimentos orgânicos, que hoje são indispensáveis em qualquer varejista do ramo alimentício.

É assim que empresas criativas dão passos largos em direção ao sucesso: apostam em tendências e acabam, por fim, emplacando.

O Grupo Pão de Açúcar também não fica para trás quando a aposta é utilizar sistemas inovadores e ferramentas tecnológicas em suas compras.

Com seu app destinado ao consumidor final, já é possível antecipar a sua compra, direto pelo smartphone.

Assim, com atitudes cada vez mais inovadoras e criativas, o grupo consegue cativar uma grande gama de clientes, desde os mais antenados até aqueles que não ligam tanto para tecnologias.

Se você faz parte do segundo time, é quase certo que você irá conseguir encontrar sempre uma pessoa disponível na loja para te ajudar a decidir sobre a compra de um vinho, por exemplo.

3 – Empresas criativas conservam o meio ambiente, como no caso da Sulamérica

Cerca de 95% de todos os processos realizados pela seguradora, atualmente, são exclusivamente feitos de forma digital, produzindo 0 papel e reduzindo a pegada de carbono da empresa.

Para que isso fosse uma realidade, no entanto, a empresa teve de investir – e muito – em processos de digitalização e em equipamentos inovadores.

Assim, foi uma das primeiras a adotar o uso do tablet já no momento da venda dos seus planos de seguros, inclusive abolindo a assinatura física de documentos.

Por mais complicado que pareça ser adotar essa medida, saiba: algumas alternativas são muito fáceis de implementar.

Comece, por exemplo, reduzindo a impressão de notas fiscais e de comprovantes de pagamento, que podem facilmente ser encaminhados para e-mails dos seus clientes.

Por fim, determine também a mesma prática com seus fornecedores.

Empresas criativas geram vendas criativas

A inovação e a criatividade são características que, uma vez que se integram ao DNA da empresa, se refletem em toda a conduta adotada na hora de fechar vendas.

Assim, temos uma dinâmica muito menos fechada, menos hierárquica e muito mais fluída de trabalho.

Dessa maneira, conseguimos desarticular processos que podem pesar, e muito, para nossos colaboradores, tornando o ambiente de trabalho mais leve, sem perder, com isso, os resultados.

Ser mais criativo, portanto, não está só relacionado a uma postura de quem cria coisas novas o tempo todo.

Está também associado com aquilo que faz com que nós, todos os dias, mudamos algumas pequenas coisas em nosso entorno.

Assim, passo a passo, conseguimos resultados muito mais satisfatórios, econômicos e, porque não, divertidos para nosso trabalho.

Se você quer topar essa ideia e incorporá-la de vez à sua rotina, algumas coisas podem fazer com que você aumente sua criatividade:

  • Faça muitas perguntas;
  • Pense em como solucionar problemas de formas diferentes;
  • Seja econômico com seu tempo;
  • Leia muito, se informe muito e ouça muito;
  • Reconheça os resultados das suas ações.

Inteligência de negócios: fazendo mais e gastando menos

Utilizar as ferramentas da inteligência de negócios pode proporcionar mais sucesso a partir dos recursos gerados dentro da própria empresa

A Business Intelligence, ou Inteligência de Negócios está intimamente relacionada à tomada de decisão, mas não sobre a ação em si.

Isso porque, em um processo decisório tendemos a analisar diversas fontes de informação que nem sempre são por nós produzidas.

Assim, é essencial que a qualidade das informações que são a nós prestadas atinja um nível de excelência e que representa, essencialmente, a realidade.

Diante da demanda de criar informações de qualidade, hoje podemos utilizar recursos tecnológicos que, com o passar do tempo, se tornarão essenciais para qualquer tipo de negócio.

Com as chamadas Inteligências Artificiais ganhando cada vez mais espaço em nossas vidas – como essa, que é a sua auxiliar em seu smartphone – veremos revoluções acontecer na Inteligência de Negócios.

No entanto, enquanto esse momento não nos é apresentado de forma plena pela tecnologia, já podemos experimentar e muito dos benefícios que as técnicas aplicadas podem trazer para nossas empresas.

Quer conhecer quais são esses benefícios? Acompanhe nosso guia!

O que é a Inteligência de Negócios?

A Inteligência de Negócios são os recursos fundamentais para o gerenciamento de informações.

Assim, ela atua em várias frentes e, a partir dos resultados, permite que a tomada de decisão seja feita de forma que avalie, realmente, cenários diversos de uma empresa.

Para que a Inteligência de Negócios atue em uma empresa, pode fazer uso de diversos tipos de ferramentas para criar relatórios ricamente informativos.

Portanto, a Inteligência de Negócios pode atuar em:

  • Separação e coleta de diferentes dados, de diferentes fontes;
  • Análise;
  • Criar entrecruzamentos informacionais;
  • Elaborar a apresentação dos dados de forma que se possam observar a análise das informações.

Os dados que serão observados podem surgir de diversas fontes, sejam elas internas ou externas.

É a partir deles que podemos desde elaborar um novo produto ou, até mesmo, reduzirmos o consumo de papel dentro de nossa empresa.

Assim, a Inteligência de Negócios orienta através do concreto as decisões que podem impactar em toda a sua estrutura empresarial.

A partir dela podemos criar novos formatos que proporcionem mais vendas criativas, redução de custos ou, até mesmo, identificar represamento de informações.

Por fim, você pode utilizar essas ferramentas para lidar com várias frentes de trabalho, criando mais engajamento e mais transparência em seu negócio.

Quais são os benefícios da utilização da Inteligência de Negócios?

Atualmente, a própria informação já pode ser assumida como um produto, bem como a metodologia utilizada para viabilizar ações a partir da implementação dos recursos.

No entanto, para além dos benefícios que nos permitem observar novos nichos de mercado e novas experiências profissionais, a Inteligência de Negócios também promove:

  • Um processo de tomada de decisões embasados em fatos concretos;
  • Fazer mais em menos tempo a partir de resultados anteriores;
  • Melhorar nossa competitividade em relação à outras empresas;
  • Realizar pesquisas de mercado mais robustas;
  • Desenvolver novos produtos;
  • Identificar problemas.

Quando tratamos em especial da identificação de problemas percebemos a forma com que o represamento de informações afetam nosso trabalho.

Isso se deve, essencialmente, ao fato de não considerarmos informações importantes, quando, na verdade, toda informação é importante.

Assim, criando metodologias que valorizem, de fato, a informação, quebramos silos comunicativos e tornamos nossa empresa ainda mais eficiente.

O que devo fazer para implementar em minha empresa?

Essencialmente, a Inteligência de Negócios tem um fundamento: compartilhamento.

Assim, o primeiro passo dos muitos que precisam ser dados para que você possa verdadeiramente viver os benefícios desse recurso, é fundamental entender:

  • De que forma as informações surgem;
  • Como são utilizadas;
  • Para que são utilizadas.

Diante dessas respostas é possível buscar, nos objetivos da empresa, quais são aqueles que dependem de informação de qualidade.

Depois, mobilizando os setores que mais geram informações, é necessário criar metodologias ao gerenciamento e tratamento delas.

Assim, com o devido compartilhamento desses resultados, pode-se construir diferentes tipos de cenários para cada forma de analisar as informações.

Dessa forma, toda a tomada de decisão é feita a partir de resultados e de possibilidades que as próprias informações geradas no interior da empresa podem trazer.

Isso, por si, acaba por tornar o cenário muito mais palpável e, certamente, uma decisão que pode se tornar efetivamente benéfica à realidade da empresa.

As 3 melhores ações de Vendas Criativas

As ações de vendas criativas ganham cada vez mais espaço em um mercado altamente competitivo e, sem dúvida, ficam registradas na memória do público

Sabe qual é uma das principais vantagens de criar ações de vendas realmente criativas e cativantes para o público?

A forma com que isso se consolida e se solidifica na memória do seu consumidor.

Quem foi criança ou cuidou de crianças nos anos 90 deve lembrar o que era ir ao mercado e competir com Tazo ou Kinder Ovo.

A cada nova propaganda todo mundo já ficava de olho para fazer jogar com o Tazo ou para completar mais uma coleção de bichinhos divertidos.

Assim, o que era um módico brinde ficou registrado no imaginário coletivo de milhões de crianças e de famílias.

E melhor: ficou registrado como algo indissociável do produto que precisava ser adquirido para, então, ter os momentos de diversão.

Esses dois exemplos caracterizam muito bem o formato das ações de vendas criativas.

E, apesar de terem sido planejados por duas empresas gigantes do ramo alimentício, geram algumas considerações para empresas de qualquer porte:

  • Crie valor sobre o que você vende – o que você comercializa não é um produto, apenas, é uma memória, um momento, uma tradição familiar;
  • Engaje pessoas a partir de propostas honestas – siga o bom exemplo do Kinder Ovo e do Tazo, que deixam logo explícito que são artigos colecionáveis.

Ações de vendas criativas: as boas práticas que conquistaram o mercado

Conheça algumas ações de vendas criativas e entenda como um bom planejamento pode alcançar mais clientes para o seu negócio!

1 – Dia do Beijo, Quem Disse, Berenice?

A Quem Disse, Berenice? é uma marca de produtos de beleza voltada para maquiagem e perfumaria, participante do Grupo O Boticário.

Ainda em 2012 a marca criou uma das maiores ações de vendas criativas do mundo da perfumaria em pleno Dia do Beijo, celebrado em 13 de abril.

A proposta, simples, levou milhares de consumidores às lojas da recém inaugurada franquia com uma proposta um tanto inusitada.

Bastava preencher, online, um formulário simples e ir até a loja selecionada na data marcada com um batom de qualquer marca, em qualquer estado de uso.

Lá, em troca do batom antigo, já usado, o cliente ganharia um novo, da nova marca do grupo que já é um gigante no mundo da perfumaria.

Prejuízo? Desperdício? Nada!

Foi uma forma genial de atrair novos consumidores para uma nova marca de cosméticos e, além disso, criar uma grande tradição em relação à data.

2 – Uma das ações de vendas criativas campeãs: Bacio di Latte

Formada por italianos apaixonados pelo Brasil, a Bacio di Latte chegou por aqui em 2011, mas já conquistou o coração dos amantes do tradicional sorvete italiano, o gelato.

Em 2019, usando uma ferramenta de chat automático em mídias sociais, distribuiu nada mais nada menos do que 3 toneladas de gelatos gratuitamente, em uma ação dedicada ao dia dos namorados.

Para participar, bastava gerar um cupom através do chat e criar uma mensagem fofinha entregando um gelato à pessoa amada.

Mais de um milhão de pessoas foram impactadas pela ação.

3 – Halloween do Burguer King

O Burger King nunca perde uma oportunidade de alfinetar seu maior concorrente, o McDonald´s. No Halloween, a rede convocou o público para ir até as lojas da franquia vestido de palhaço em todo o Brasil para comer um hambúrguer sem pagar.

A marca avisou em suas redes sociais: “venha para o BK fantasiado como palhaço e pegue seu Whopper grátis.” O Marketing provocativo também ocorreu na Black Friday, quando o BK ofereceu um balde de batatas fritas em resposta ao refil grátis da concorrente. 

Por outro lado, a franquia argentina da rede amenizou essa competição durante o McHappy (o McDia Feliz dos portenhos). No dia 10 de novembro, enquanto o McDonald´s da Argentina destinava toda a renda do Big Mac para ONGs, o Burger King se recusou a vender o Whooper e ainda direcionava os clientes para a loja do concorrente.

Mas se o foco é criar ações de vendas criativas, por que tudo é feito de graça?

A resposta é simples: o consumidor pode ser apresentado à sua marca de muitas formas e a mais cativante é quando ele percebe que há algum ganho significativo ao manter essa relação.

Assim, marcas do mundo todo se esforçam para criar ações de vendas criativas que realmente gerem valor ao cliente, seja ele como for.

Portanto, vale distribuir sorvete, batom ou brindes dentro de alimentos? Vale.

Mas sabe o que vale mais?

Gerar, realmente, um impacto positivo sobre a vida das pessoas.

A Quem Disse, Berenice? não apostou, somente, em dar batons. Apostou em uma logística que também tem uma grande pegada ambiental: dar fim correto ao lixo.

A Bacio di Latte não criou, apenas, um momento para dar sorvetes: apostou em fortalecer vínculos amorosos, em pleno dia dos namorados.

A ação de Halloween do Burguer King, não foi apenas uma brincadeira, foi uma forma de se posicionar no mercado e atingir diretamente as vendas do concorrente, fortalecendo a marca.

Assim, lembramos:

  • Gerar impacto é essencial para que a ação de venda criativa se torne um momento importante para o seu consumidor;
  • Vá além da venda pela venda, do dar pelo dar. Crie um motivo que impacte positivamente na vida do seu cliente.

Marketing Criativo: Gerando mais vendas e Clientes Satisfeitos

plicar estratégias de Marketing Criativo em sua empresa é garantia de mais vendas convertidas e de ter clientes mais satisfeitos com suas compras

O Marketing Criativo é quase uma redundância.

Toda estratégia de Marketing de uma empresa se baseia em um único critério: como posso me destacar da minha concorrência?

Assim, quando pensamos em Marketing Criativo é essencial que já pensemos também em como o fazer diferente pode nos colocar quilômetros na frente dos nossos concorrentes.

Para isso temos exemplos clássicos no mercado, sobre os quais vamos tratar agora.

A guerra entre McDonald’s e Burger King: o Marketing Criativo em cena

A guerra, já podemos dizer, é uma ação de Marketing.

As duas empresas, ao longo do tempo, provocaram uma a outra em grandiosas ações que nos ensinam muito sobre como a promoção do nosso negócio pode ser feita.

Isso porque, para além da propaganda, as redes de fastfood contam com um público bastante fiel, que não é, por si, aquele que é competido entre elas.

Assim, por que investir tanto em Marketing?

A resposta é simples.

Quanto mais investem, mais atraem público para suas lojas.

E é justamente essa a ação fundamental de uma estratégia de Marketing Criativo.

É por isso que as provocações que uma rede promove contra a outra e suas rápidas respostas são tão interessantes para nós analisarmos.

Em um Natal, por exemplo, o Burger King presenteou a maior loja do McDonald’s nos Estados Unidos com uma churrasqueira.

Isso porque é característico do hambúrguer fabricado pelo Burger King o seu sabor defumado, enquanto o McDonald’s trabalha com chapa.

Assim, a brincadeira, embora ganhe ares de seriedade do ponto de vista do Marketing Criativo apenas impulsiona o crescimento de ambas as marcas.

Como estabelecer uma estratégia de comunicação mais criativa

Você deve ter visto centenas de exemplos na Internet de empresas que usam uma linha mais engraçadinha do que formal nas redes sociais.

Essa linha é chamada de Marketing Criativo porque, através de uma intensa pesquisa do seu público, ou das suas personas, consegue identificar e mostrar em suas campanhas aquilo com o que o seu público se identifica.

Embora esse conceito seja muito popular na web, ele é perfeitamente possível de se replicar também no varejo físico.

Assim, utilizar uma estratégia criativa não é, apenas, adotar uma linguagem mais engraçada ou usar e abusar de trocadilhos.

Ser criativo requer identificação do seu público, que pode, rapidamente, fazer com que sua campanha ganhe milhares de pessoas engajadas a ela.

Ou, a depender da mesma linguagem que pode fazer dela um sucesso, até mesmo ser boicotada caso você tenha ignorado um assunto importante do momento ou tratado ele de forma incorreta.

O Marketing Criativo, assim, é muito sazonal.

Criar campanhas utilizando assuntos que já estão sendo tratados no momento, portanto, é sua grande missão para que se converta, assim, em vendas criativas.

O que levar em conta na hora de elaborar a sua estratégia de Marketing Criativo

1 – Esteja atento às tendências de comunicação e não subestime o poder que a palavra tem, seja no online, seja no físico;

2 – Não subestime o poder do meme, mas esteja atento, sempre, ao seu prazo de validade;

3 – Não se alinhe e nem adote discursos que vão de encontro à pautas sociais relevantes;

4 – Fique de olho no calendário comercial e fuja do óbvio – nem toda mãe gosta de flores e nem toda mulher gosta de chocolate;

5 – Considere o tempo como essencial e não atrase suas campanhas;

6 – Conheça seu público, fique de olho em alguns perfis que mais se envolvem com a sua marca e busque conexões com eles;

7 – Saiba o que as pessoas que compram a sua marca esperam: conheça suas pautas, sua idade e familiaridade com a linguagem que você deseja dar à sua campanha;

8 – Conheça a sua concorrência e visite-a. Saiba como ela trata temas fundamentais da sociedade e conheça seu posicionamento;

9 – Seja fiel às suas ideias e defenda-as caso estejam corretas e dê alguns passos para trás e reformule caso estejam erradas. Não corra riscos com a sua imagem;

10 – Não faça sempre a mesma coisa só porque a primeira vez deu certo. Invista sempre em mais pesquisa e tenha, sempre, melhores resultados.